quinta-feira, 7 de maio de 2009

Vasco deixa zebra pelo caminho e está nas quartas da Copa do Brasil



Mostrando um futebol bem diferente do apresentado na semana passada no Rio de Janeiro, o Vasco eliminou o Icasa com uma goleada por 4 a 1 e se classificou para as quartas-de-final da Copa do Brasil. Com dois gols de Léo Lima (ambos de pênalti), um de Élton e um de Vilson (Leozinho, também de pênalti, descontou para a equipe de Juazeiro do Norte), o time conseguiu evitar que se repetisse a história de eliminações prematuras contra equipes de menor expressão no torneio - Baraúnas e XV de Novembro de Campo Bom foram alguns deles - e deixou pelo caminho uma zebra do interior do Ceará. Agora, o time de São Januário enfrentará o Vitória (que eliminou o Atlético Mineiro com uma vitória nos pênaltis por 5 a 4, após derrota por 3 a 0 para o Galo no tempo normal da partida do Mineirão).

Com a qualidade de sua equipe posta em dúvida depois do pífio empate em 1 a 1 contra o Icasa em São Januário, o Vasco precisava fazer gols (com o 1 a 1 da primeira partida, o empate em 0 a 0 classificaria o time cearense). Apesar de marcar a saída de bola do Icasa, o time vascaíno tinha menos posse bola do que os anfitriões. Num início de constantes passes errados, a primeira chance veio em cobrança de bola parada. Panda arriscou um chute forte, mas a bola passou longe do gol de Tiago, aos seis.

A primeira chance do Vasco veio somente aos 10 minutos. Élton recebeu bola de costas para a marcação e passou de calcanhar para Enrico, só que o meia adiantou e a zaga do Icasa afastou para escanteio. Na cobrança de Paulo Sérgio, Léo Lima subiu mais que os zagueiros, mas cabeceou para fora.

Aos poucos, o time de São Januário chegava ao ataque. Numa das investidas, Paulo Sérgio recebeu passe de Léo Lima em diagonal e foi derrubado por Joãozinho dentro da área. Pênalti. Léo Lima cobrou rasteiro, no canto esquerdo, deslocando Ari para o outro lado. Vasco 1 a 0.

Agora sem a vantagem do empate, o Icasa começou a pressionar o jogo, e aos 20 deu o primeiro susto na torcida vascaína. Leozinho passou pela zaga e arriscou num chute rasteiro. Tiago espalmou para o lado e Marco Vinícius aproveitou o rebote, mas a bola foi para fora. Três minutos depois, em nova pressão do time da casa, Leozinho foi derrubado perto da grande área. O próprio jogador cobrou, mas a bola passou à direita do gol de Tiago. Na jogada seguinte, Paulo Sérgio cruzou para defesa do goleiro Ari. O camisa 2 tentou mais uma vez cruzamento para a área em cobrança de falta, mas Vilson cabeceou para fora, aos 27.

Aos 29, Leozinho novamente assustou em cobrança de falta. Num jogo de muitas faltas, novamente o Vasco teve chance de ampliar a vantagem, em cobrança de falta de Paulo Sérgio, mas o goleiro Ari conseguiu segurar, aos 33.

Dois minutos depois, Rodrigo Pimpão recebeu bola perto da área, girou na frente do zagueiro e o goleiro Ari defendeu no meio do gol. No lance seguinte, o camisa 11 puxou um contra-ataque e arriscou da esquerda, mas o goleiro conseguiu jogar para escanteio.

O técnico Dorival Júnior pediu para o time voltar a pressionar a saída de bola do adversário. E numa das tentativas perto da área da equipe de Juazeiro, o Vasco chegou ao seu segundo gol. Rodrigo Pimpão entregou bola na direita para Paulo Sérgio e o lateral passou para Élton, com tranquilidade, colocar para o fundo das redes. Vasco 2 a 0, aos 42 minutos.

Com dois minutos de acréscimo, a primeira etapa terminou no Estádio Romeirão, e o Icasa foi para o vestiário com a consciência de que precisaria fazer pelo menos três gols para se classificar às quartas-de-final da Copa do Brasil. Por isto, o técnico Flávio Araújo realizou duas substituições logo no intervalo. Na lateral, Joãozinho saiu para a entrada de Gilberto Matuto. No ataque, Marciano (autor do gol do time cearense em São Januário) substituiu Moré.

Mas quem marcou no início de segunda etapa foi o Vasco. Aos quatro minutos, Ramón cobrou escanteio na esquerda. Vilson cabeceou, a bola resvalou no zagueiro do Icasa e enganou Ari. 3 a 0.

A equipe vascaína demonstrava mais tranquilidade, e teve outras duas chances de marcar. Uma, com Rodrigo Pimpão, que tentou fazer gol por cobertura mas o goleiro Ari evitou, e outra, em chute de Enrico que foi para fora. Aos 12 minutos, o Icasa fez sua última alteração: Esquerdinha saiu para dar lugar a Jeferson.

Aos 14, Leozinho passou por Gian e chutou para o gol, mas Tiago desviou com a ponta dos dedos. No minuto seguinte, insatisfeito com o rendimento de Enrico em campo, Dorival Júnior tirou o jogador para a entrada de Carlos Alberto, que retornava à equipe depois de um bom tempo afastado dos gramados por contusão.

Com 19 minutos da segunda etapa, Marciano tentou jogada perto da área e foi parado por Mateus. Como o jogador já tinha levado o cartão amarelo no primeiro tempo, o segundo amarelo puxado por Antônio Hora Filho fez com que o Vasco passasse a jogar com 10. Para recompor o time, Dorival Júnior realizou uma nova alteração: o atacante Élton foi substituído pelo meia Bruno Gallo, aos 25.

No minuto seguinte, Carlos Alberto cruzou para a esquerda, Ramón lançou para o meio com Rodrigo Pimpão, só que na hora de chutar, o atacante enfeitou demais e perdeu a chance de chute. Ele ainda tentou jogada com Bruno Gallo, mas o ataque foi desperdiçado. Aos 28, Amaral arriscou em cobrança de falta, mas pegou muito embaixo da bola.

Um minuto depois, Gilberto Matuto entrou livre na área e foi derrubado por Tiago. Pênalti. Leozinho deu uma paradinha e fez o gol, mas o árbitro mandou voltar por causa da invasão de área de um jogador do Icasa. Na segunda cobrança, novamente Leozinho fez uma paradinha antes de acertar o canto esquerdo do gol. 3 a 1 Vasco, aos 31.

Dois minutos depois, Paulo Sérgio cobrou falta e no rebote Rodrigo Pimpão chutou por cima. Aos 34, Bruno Gallo entrou na área e se chocou com Thiago. O juiz Antônio Hora Filho marcou pênalti. Léo Lima novamente cobrou no lado oposto de onde caiu o goleiro Ari. Vasco 4 a 1, aos 35.

A oito minutos do fim, o time carioca teve sua última substituição. Edgar entrou no lugar de Rodrigo Pimpão. Aos 39, Marco Vinícius cruzou para a área vascaína mas o zagueiro Thiago desperdiçou, com seu voleio, a oportunidade do segundo gol do Icasa.

Aos 41 minutos, o goleiro Tiago levou uma bolada no queixo e ficou caído no gramado por alguns instantes. Quando o jogo retornou, o Icasa teve três chances. Uma com Gilberto Matuto, em chute desviado por Léo Lima aos 42, uma tentativa de Marco Vinícius que foi por cima do gol, a um minuto do fim, e, no lance que foi mais próximo do gol, Alan chutou rasteiro perto da trave direita de Tiago, aos 47.

Aos 49 minutos, Antônio Hora Filho encerrou a partida. Classificado para as quartas-de-final da Copa do Brasil, o Vasco agora se concentra na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro - a estreia acontece no sábado, contra o Brasiliense, em São Januário. Espantada a zebra cearense, o time cruzmaltino agora se prepara para um torneio no qual corre o risco de cruzar com novas zebras pelo caminho.

*****

ICASA (CE) 1x4 VASCO

Estádio: Romeirão (em Juazeiro do Norte).

Árbitro: Antônio Hora Filho (de Sergipe).

Gols: Léo Lima, aos 18, e Élton aos 42 minutos do primeiro tempo. Vilson, aos três, Leozinho, aos 31, e Léo Lima, aos 35 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Joãzinho, Thiago (Icasa), Mateus, Tiago (Vasco).

Expulsão: Mateus (Vasco).

ICASA - Ari, Alan, Panda e Thiago; Marco Vinícius; Jonas, Guto, Esquerdinha (Jeferson) e Joãozinho (Gilberto Matuto); Moré (Marciano) e Leozinho. Técnico: Flávio Araújo.

VASCO - Tiago, Paulo Sérgio, Vilson, Gian e Ramón; Amaral, Mateus, Enrico (Carlos Alberto) e Léo Lima; Rodrigo Pimpão e Élton (Bruno Gallo). Técnico: Dorival Júnior.

*****

BOLA PRO MATO

Outro time carioca conseguiu espantar uma zebra cearense no Nordeste. No duelo de tricampeões estaduais, o Flamengo (tricampeão carioca) derrotou o Fortaleza (tricampeão cearense) pelo placar de 3 a 0. Agora, o rubro-negro do Rio enfrentará o Internacional, que despontou como um dos melhores times do país neste início de campeonato.

Um comentário:

Fernando Quaresma disse...

Vinicius ,

O que aconteceu em São Januário foi a mesma coisa que aconteceu com o Fluminense lá em Marabá . Quando você entra ao campo , com "Salto Alto" e naquele espirito bisonho do já ganhou , é ai que você cai do cavalo .

Esses times não têm nada a perder , só saber correr e dar muita botinada . Sabe por que ? Porque eles precisam aparecer para o mercado . Será que é fácil ser um jogador do ICasa !? Se eu já acho sinistro , jogar em times como Frigurguense , imagine um dese que vêm lá do sertão e ainda por cima consegue a façanha de ser rebaixado no campeonato cearense que é puro lixo . Aonde , se colocarmos um Mesquita ou Resende da vida seriam campoes invictos por lá .

O Icasa , foi correria sem técnica alguma . O Vasco se assustou com isso pois não esperava que um time de varzea fosse dar esse "Calor" todo . Mas o que eua chei mais engraçado , foi que no jogo de volta lá no sertão . Quando o Icasa , resolveu se organizar e jogar a bola redonda e não chutar coco . Tomaram de 4 x 1 , sabe por que 1? Descobriram que Copa do Brasil é coisa séria , que pegar um Vasco sedento pela frente é complicado .

Mas aprecise o meu trocadilho .....

"O Vasco , jogou com o Icasa na casa do Icasa . Meteu 4 x 1 no Icasa na casa do Icasa e o Icasa saiu de sua casa triste . Ridiculo , porém diferente