sábado, 30 de maio de 2009

Fim de festa



Quando um clube não prima pela tradição em sua história, uma ascensão repentina acaba sendo um grande risco se os planos são interrompidos bruscamente. O Sport Recife sentiu todos os malefícios do deslumbre e da ansiedade pela consagração quando foi eliminado pelo Palmeiras nas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América. O sentimento de fim de festa fez a primeira vítima no time pernambucano. A propósito, a vítima que é mais fácil de ser eliminada em casos como este.

O técnico Nelsinho Baptista pediu demissão cerca de um ano depois de levar o time à competição sul-americana, com a conquista da Copa do Brasil. Para 2009, o Sport manteve boa parte de seus jogadores e se reforçou de nomes experientes, como o meia Paulo Baier. O início de ano foi promissor, com mais um título estadual e uma boa campanha na fase classificatória da Libertadores.

Entretanto, após dois jogos duríssimos, a equipe pernambucana foi derrotada nos pênaltis, em plena Ilha do Retiro, e as mãos de "São" Marcos roubaram o sonho da Taça Libertadores da América. Em vez de a boa trajetória de uma equipe considerada "surpresa" no torneio servir como incentivo, o Sport agora parece estar se desmantelando.

Depois da saída de Nelsinho, quem está perto de ir embora (e pela porta dos fundos) é Paulo Baier. O líder do time neste primeiro semestre pediu para se afastar do clube depois de ser considerado pela imprensa como o motivo do técnico ter ido embora da Ilha do Retiro. Segundo Baier, o ex-técnico falou que ele estava "fazendo corpo mole", o que o meia entendeu como humilhação, por ter sido dito na frente dos outros jogadores. O jogador disse que a irritação de Baptista se estendeu a Jonas, que foi aconselhado a ir embora, e ao atacante Ciro, que teria sido chamado de "mulherzinha".

O mal-estar no time pernambucano vem fazendo efeito nas três primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro - o Sport está em 18º lugar (na zona de rebaixamento), com um empate e duas derrotas. Nem mesmo a Ilha do Retiro jogou a favor da equipe neste início de campeonato. Na estreia, o time não passou de um empate em 1 a 1 contra o iniciante Barueri e, na rodada passada, os pernambucanos sofreram uma derrota por 3 a 2 para o Atlético Mineiro.

O sentimento que paira na Ilha do Retiro é de um "fim de festa" melancólico. Passada a ressaca do fim do sonho da Libertadores, a torcida do Leão agora fica apreensiva, com receio de que a melancolia se torne ainda maior no final de ano do rubro-negro.

*****

BOLA PRO MATO

O treinador Dorival Júnior coloca em campo hoje, na partida contra o Paraná, uma equipe recheada de reservas. A intenção é poupar os jogadores do Vasco para a partida contra o Corínthians, em São Paulo, na próxima quarta. Uma atitude preventiva, mas bem controversa. Afinal, a competição mais importante do ano para o clube é a Série B. É bem verdade que a equipe tem de usar a força máxima numa semifinal de Copa do Brasil. Entretanto, os três pontos no Durival de Brito são importantíssimos, tanto por matemática rumo à Primeira Divisão quanto pela vitória do Guarani por 3 a 2 ontem diante do Bragantino. Com uma vitória hoje, o Vasco ultrapassa o Bugre no saldo de gols e permanece em primeiro lugar na competição.

Um comentário:

Fernando Quaresma disse...

Caro Vinicius ,

Sabe o que me deixa triste no futebol brasileiro . É essa dança das cadeiras entre os técnicos de futebol . O time que vêm conseguindo manter o técnico por um tempo é o São Paulo . Mas o que eu respeito muito é o Sir Alex Fergunson do Manchester United .
É incróvel como que ele consegue se manter no cargo por muito tempo .

Veja você o Fluminense . Parreira têm poucvos jogos com o Flu e já pensam em demissão !? Que isso !
No caso do Nelsinho , é triste ver um grande técnico ser demitido do Sport . Espero mesmo que o brasileiro mude de filosofia .

Abraços