sexta-feira, 24 de abril de 2009

O caminho para as Minas




O finzinho de abril segue como a hora certa para encerrar as indecisões sobre qual será o melhor time de cada estado do país. Ao lado dos primeiros encontros entre Flamengo e Botafogo, no Rio de Janeiro, e Corínthians e Santos, em São Paulo, outro estado do Sudeste começa a decidir no domingo quem será seu campeão de 2009.

Mesmo diante da indecisão de saber quem é o melhor, está decidido que a hegemonia da disputa entre seus dois grandes times continua nas finais em Minas Gerais. Pela 32ª vez (sem contar a época em que o título mineiro era apenas o Campeonato da Cidade), Cruzeiro e Atlético medirão forças para ver qual bicho poderá cantar o grito de "é campeão" ao final.

No papel, a Raposa azul tem um time superior. Além de um goleiro de destaque como Fábio, o Cruzeiro traz estrelas como o zagueiro Léo Fortunato, o meia Ramires (que há algum tempo já merece uma convocação para a Seleção Brasileira) e um ataque perigoso formado por Kléber e Wellington Paulista. A superioridade reflete, inclusive, no foco que a equipe tem para este ano: a disputa da Taça Libertadores da América, na qual já passou para a próxima fase.

Só que esta vantagem de poder lutar por um título sul-americano pode ser prejudicial para o time celeste. Numa competição tão desgastante, talvez o cansaço reflita também nas partidas decisivas de Minas. Por mais que as estrelas sejam brilhantes, a neblina da falta de gás pode fazer mal ao time cruzeirense.

Do lado do Galo alvinegro, a inferioridade aparente é combatida com um fator importantíssimo no futebol: o momento. E o bom momento do Atlético vem justamente em sua linha de frente. No decorrer do campeonato, o meia Carlos Alberto se tornou peça fundamental, a ponto de muitos comentaristas (como Bob Faria, da página eletrônica Globoesporte.com) o elevarem ao posto de "mola-mestra" do time. O que pode ser negativo caso ele não passe por um bom momento no campo de decisão.

Do ataque vem o outro jogador em pleno bom momento nas partidas. Dispensado do Flamengo no fim do ano passado, Diego Tardelli respondeu ao descrédito com gols - como o de pênalti, que ontem ajudou o Atlético a passar de fase na Copa do Brasil com uma vitória por 2 a 0 sobre o Guaratinguetá. Seu bom futebol trará dificuldades para a zaga do Cruzeiro.

Na busca pela consagração, o experiente Emerson Leão (do Atlético) e o praticamente recém-consagrado Adilson Batista (do Cruzeiro) terão a partir de domingo um desafio de estratégias para ver quem sairá vitorioso neste novo capítulo da disputa pela hegemonia nos gramados de Minas Gerais. A torcida mineira permanece ansiosa com as partidas dos próximos dois domingos, para saber quem chegará em primeiro neste caminho para as Minas.

3 comentários:

Rio Futebol disse...

Na verdade desde o começo do campeonato mineiro prevíamos que a final seria entre Cruzeiro x Galo. As duas equipes estão anos luz na frente dos adversários do estado.

Na verdade, acho que com excessão ao Gauchão, onde o Grêmio deu de cara com a zebra, as finais dos estaduais pelo país estão saindo como programado, sempre entre os grandes...

Grande abraço e parabens pelo Blog!

Passe lá no Rio Futebol também. Demos uma reformulada na página e, enfim, voltamos à ativa!

Marcos Fontelles de Lima disse...

Vinícius,

O Galo há muito vem se depenando no campeonato brasileiro... Momento é bom, mas é sempre a mesma coisa... Vai bem no Estadual, até pela falta de adversários, pois os Américas, Intumbiaras e Ipatingas nem sempre aparecem!!

Cruzeiro é um time mais regular, porém como diria um filósofo e ex-jogador em atividade, mas com uma história incrível: "Clássico é Clássico e vice-versa"

"Há braços"

Fernando Quaresma disse...

Nobre comentarista ,

Como já foi citado , o Cruzeiro e o Atlético são as duas forças de Minas . A diferença para os times pequenos é gritante . Devido a regularidade e o plantel melhor montado , acredito em um favoritismo da raposa azul , mas clássico é classíco . Tudo pode acontecer , teremos um grande jogo na capital mineira

Abraços