segunda-feira, 2 de março de 2009

Ronaldo e a supervalorização de um nome



Melhor do mundo três vezes, dois títulos de Copa do Mundo como jogador, artilheiro absoluto, carreira marcada por gols desde seu início no modesto São Cristóvão (que em seu muro estampa, orgulhosamente, "AQUI NASCEU O FENÔMENO"), a promessa no Cruzeiro, a ascensão no futebol europeu, temporadas no PSV, no Barcelona, na Inter de Milão, no Real Madrid e no Milan, sucessivas contusões e volta por cima quando ninguém mais acreditava em seu futebol. Em 33 anos de vida (cerca de duas décadas como jogador de futebol), RONALDO já passou por altos e baixos que um atleta vive dentro de campo.

No entanto, em um momento no qual todos acreditavam que ele estava batalhando para retornar aos campos depois de uma contusão, o Fenômeno parece cada vez mais ter descaso com relação ao seu futebol. A consequência disto recai em outro lado: a evidência de acontecimentos extracampo, que revelam uma pessoa frágil emocionalmente, o que dá a sensação de ele ter se deslumbrado com os milhões depositados em sua conta bancária de uma hora para outra.

Depois de passar algum tempo submetido à superexposição na mídia de seus relacionamentos amorosos, Ronaldo recentemente chamou atenção entre os espectadores de futebol por um incidente acontecido em sua vida pessoal. No ano passado, em uma noitada no Rio de Janeiro, o jogador se envolveu num escândalo com três travestis que tentaram extorquir 50 mil dólares dele. O fato abalou sua imagem, e o fez perder um contrato de imagem com uma empresa de telefonia celular.

Ao final de 2008, Ronaldo surpreendeu o Brasil e deixou os fãs com boas perspectivas para 2009. Depois de passar o ano tentando recuperar a forma física no Flamengo, o atacante acertou com o Corínthians. Sua apresentação no clube paulista foi cercada de pompa e circunstância. Afinal, mais do que a promessa da volta do craque aos campos, era o retorno dele ao futebol brasileiro (do qual saíra em 1994, ainda aos 17 anos, trocando os gramados de Minas Gerais pelo frio europeu do PSV, na Holanda).

Passados três meses deste ano, Ronaldo continua sendo uma incógnita. Todas as vezes em que aparece em jogos do Corínthians, é como espectador. Seu jogo de estreia no alvinegro paulista também não tem a menor previsão - sempre que questionado, o técnico Mano Menezes responde: "em algumas semanas". Para tornar a situação ainda mais delicada, novamente o jogador se envolveu em um incidente extracampo: em uma das partidas do clube, a comissão técnica corintiana estipulou que todos os jogadores, sem exceção, estivessem no hotel em que o clube estava hospedado à meia-noite. Ronaldo chegou às cinco e meia da manhã.

Indisciplina, noitadas, atleta acima do peso. Ao que parece, Ronaldo se acomodou nos milhões conquistados durante sua carreira. Agora, para não pendurar as chuteiras e ser mais um ex-jogador esquecido na leva de craques do Brasil, o Fenômeno se utiliza da expectativa em torno de sua reestreia para que não apaguem seus holofotes. Resta saber se ele vai querer ser o iluminado de tantos gols e jogadas geniais ou um ex-jogador em atividade, que se arrasta em campo e que só consegue ser titular por causa do nome.

7 comentários:

Equipe F1 Critics disse...

ex-jogador em atividade. é isso mesmo.

uma correção: ele venceu três vezes a eleição de melhor do mundo (1996, 97 e 2002).

sobre os dois títulos da copa, pra mim ele foi campeão só uma vez: na de 1994, não jogou em nenhum momento.

creio que ele supervalorizado, mesmo, e há muito tempo (desde 2005) não apresenta bom futebol, além desses problemas extra-campo.

marketing total, sua contratação.

abração!

Vinícius Faustini disse...

Bem lembrado, esqueci que em 2002 ele foi eleito melhor do mundo. Só associei aos de 1996 e de 1997. O erro está corrigido.

Também concordo sobre a Copa de 94 e com a supervalorização que você diz. Bem, saiu hoje nota de que ele vá estrear domingo. Resta esperar.

Abraços, e prestigiemos a Fórmula 1!

Vinícius Faustini

Pilatti disse...

veja aqui sobre o pedido de desculpas do cara...


http://esportes.terra.com.br/futebol/estaduais/2009/interna/0,,OI3608679-EI12403,00-Ronaldo+pede+desculpas+aos+jogadores+do+Corinthians.html

Marcos Fontelles de Lima disse...

Olá Pessoal,

Vamos botar fogo neste blog...

Equipe F1, realmente o Ronaldo foi melhor do mundo três vezes?? mas que título é esse de melhor do mundo, que o jogador para ganhar é obrigado a estar jogando na Europa?? Riquelme, no Boca nunca poderia ser o "melhor do mundo", mesmo se ele FOSSE o "melhor do mundo". América do Sul, fica fora do mundo?? O Ronaldo é o melhor da Fifa...

Sobre o dois títulos, eu discordo com vc novamente e tbm com o post do Vinicius, em resposta ao seu post, pois o Ronaldo foi bicampeão com certeza, ele não estava lá passeando, Futebol, assim como a Formula 1, são esportes coletivos. Ou será que o Schummer, foi o que foi e aquele famoso mecânico desconhecido não o ajudou em nada? isso sem citar o Massinha que sempre foi o seu anjinho da guarda. Ronaldo estava lá trabalhando, treinando, pressionando os atacantes a treinarem bem, pois qq coisa o Parreira poderia escalá-lo. Eu considero campeões todo mundo: médicos, nutricionistas... o Zagalo é penta, mas não entrou em campo em todos...

Eu tbm acho que o Ronaldo tem muito marketing em cima dele. Jogadores como o Souza, atualmente no corinthians, deve ter tbm um baita empresário, pois é um caneleiro e consegue jogar em time de massas como tbm o Mengão!! Mas Ronaldo além de muita bola, tem bom empresário aí o resultado fica claro na conta corrente daquele dentuço.

Eu sempre admirei o Ronaldo, mas depois que vi uma entrevista do Zizou, a respeito do Fenomeno ser craque não somente pelo que ele faz nos jogos, quando são transmitidos pra todo mundo, mas que o Ronaldo é fenomeno, pelo que ele faz no dia a dia nos treinos... aí meus camaradas, eu calei minha boca de toda e qq critica que eu tinha do cara a respeito dele COMO JOGADOR, pq...

... acho que ele é fraco emocionalmente, pois não consegue viver com a imagem que ele deveria representar. Zico, Dinamite, Oscar, Senna, Roberto Carlos,nunca os vi em confusão... Mas o Ronaldinho preferiu seguir Edmundo, Romário e Renato Gaucho. Fazer o que?

Agora é um absurdo ele ou qq outro atleta, ganhar milhões pra praticar um esporte, mesmo que seja em alto nível... Que ele receba salário, tudo bem, mas não um salário catastrófico... Pois tem pessoas com trabalhos mais dignos e que não vão ganhar nunca, o que o intelectual Ronaldo ganha em um mês.

"Há braços"

Marcos!!

Marcos Fontelles de Lima disse...

Vinicius, sei que não tem nada haver com assunto, mas como não sou blogueiro a muito tempo, vou postar aqui um link, que justifica uma "conversa" anterior. Neste Link demonstra que o Paysandu jogou a Liertadores em 2003, logo foi no ano de 2002 que ele foi campeão da copa dos campeões. Lá embaixo no rodapé, tem alguns sites interessantes para quem é amante dos esporte!!

O Link: http://www.rsssfbrasil.com/miscellaneous/attendn.htm

Vinícius Faustini disse...

Ô, Marcos, eu me recordava que o Paysandu jogou a Libertadores sim, me lembro que a imprensa fez muito alarde com a vitória sobre o Boca Juniors na Bombonera. Talvez isto tenha prejudicado o segundo jogo, aqui no Brasil, justamente pela situação que acabo de colocar no post mais recente do blogue.

Muito obrigado pelo link, darei uma olhada nele. Foi ótimo mesmo você citar sobre o Papão, eu sabia que ele tinha ido para a Libertadores, mas tinha esquecido a maneira como foi.

Quanto ao que você falou sobre Ronaldo seguir exemplos de jogadores como Edmundo, Romário e Renato Gaúcho, eu discordo quando você inclui o Romário. Por mais indisciplinado que fosse com relação a treinamentos e noitadas, o ex-camisa 11 sempre chamou a responsabilidade para si e foi decisivo quando precisaram dele.


Marcel, francamente, eu acho que o Ronaldo devia pedir desculpa aos corintianos de outro jeito: fazendo gol. Acho que esta atitude dele é uma "mea culpa" barata, e somente os mais fanáticos pelo futebol dele vão aplaudir.

Obrigado a vocês pelas ótimas participações,

Vinícius

Marcos Fontelles de Lima disse...

Vinícius,

o jogo contra o boca juniors lá em Belém, que acabou eliminando o time paraense, foi uma coisa espetacular... a energia estava presente de uma forma diferente e indescritivel... só pra tentar passar uma idéia, o estádio Mangueirão, fica muito mal localizado, tem acessos horríveis, e neste dia, os motoristas e cobradores de ônibus estavam em estado de greve. Belém nao tem metrô... e eu presenciei uma galera indo a pé em estado de oba oba (post novo) e voltando com uma tristeza-alegre do Mangueirão... Esta derrota selou o fim de carreira do Vandick, gente boa, que pendurou as chuteiras, em homenagem a torcida bicolor. Hoje ele é vereador na cidade.

Romário é o cara realmente... sempre deu respostas as suas noitadas... até concordo, mas não é postura de atleta, e foi isso que eu acho que tinha citado!! Por exemplo: O Rubinho Barriquelo, nunca o vi em noticiario de noitada, mas tbm nunca o vi comemorando um titulo...

Eu lá em Belém, batia bola com alguns jogadores profissionais, saia a noite com uns tbm, e um em especial jogava melhor, quando chegava da balada... Hoje em dia ele é engenheiro civil...