quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A arapuca das prioridades



O início do calendário do futebol brasileiro mostra que ainda é cedo para a torcida levar a sério a escalação de algumas equipes. Não bastava a "pré-temporada de luxo" dos estaduais. Alguns clubes decidiram colocar em campo reservas na partida de estreia da Copa do Brasil.

Logo mais, o Vasco jogará contra o Sousa, da Paraíba, com 11 reservas. Segundo o treinador Vagner Mancini, a intenção é de que os titulares sejam poupados para a semifinal do sábado de Carnaval, contra o Fluminense.

A atitude de preservar seus jogadores é muito relevante, em especial porque a equipe chega a uma fase decisiva da Taça Guanabara. Entretanto, Mancini tomou esta iniciativa no ano passado, e isto custou caro para o Santos (equipe que ele treinava).

Tentando poupar os titulares santistas para a decisão contra o Corínthians, o técnico viu sua equipe ser eliminada pelo CSA, após um empate sem gols em Alagoas e uma derrota por 1 a 0 em plena Vila Belmiro. Embora seu trabalho tenha sido bem interessante para um Santos bastante limitado que ele tinha em mãos, sua atitude na Copa do Brasil acabou comprometendo a passagem pelo alvinegro praiano.

Vagner Mancini se encontra novamente numa arapuca das prioridades. De um lado, vem uma partida que pode levar o Vasco à decisão do primeiro turno do Campeonato Estadual. Mas... Qual a importância da hegemonia no estado diante de uma Copa do Brasil, que, de dois em dois jogos vai levando a equipe vencedora rumo à Taça Libertadores da América?

Colocar reservas em João Pessoa expõe também uma falha na competição mais democrática do futebol nacional. Devido à pouca tradição das equipes de determinados estados, as equipes de maior destaque não estreiam com sua força máxima. Afinal, independentemente do resultado no primeiro jogo, o regulamento dá uma segunda chance, diante de sua torcida.

De qualquer forma, o Sousa parece uma boa prova para jogadores que estão querendo uma vaga no time titular do Vasco - mas, até o momento, somente a zaga parece estar incerta na equipe vascaína. Caso algum jogador tenha boa apresentação na partida de hoje, pode até almejar uma vaga entre os titulares.



Assim, pode vir uma nova arapuca para Vagner Mancini: que jogador priorizar como titular do clube? É a vez de novos reforços e de velhos conhecidos (como o meia Jéferson e o atacante Élton) fazerem da estreia do Vasco na Copa do Brasil uma ótima atração.

4 comentários:

Fernando Quaresma disse...

Ponta pé inicial, a bola rola e entra em campo o programa Quatro Linhas.
Salve Salve galera que acompanha o blog "O Tempo e o Placar".

Pode parecer uma tarefa simples, mas a Copa do Brasil deve ser encarada com mais seriedade.

O Vasco poderia tentar eliminar o time paraibano logo no jogo de ida e evitando um possível confronto no Rio de Janeiro e desgastando o elenco, mesmo jogando com o time reserva, são oportunidades como essa que os grandes clubes não podem desperdiçar.

E outra, estamos no inicio da temporada. Nem passamos pelo carnaval e já temos treinadores poupando um time? O jogador já veio descansado, teve um mês para repor as energias e não vão coloca-los para jogar?

Fica uma pergunta aos torcedores: Vocês não se sentem lesados com isso? Pois estão pagando um ingresso muito caro para não ver um espetáculo pois estão poupando os artistas principais...

Um abraço do cronista da tática perfeita, Nando Quaresma

Leonardo Valejo disse...

O Mancini só tem que estar mais consciente que o time reserva do Vasco tem que ser de um nível melhor do que os reservas do Santos de 2009.

Grande abraço

Leonardo Valejo

Derbson Frota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Derbson Frota disse...

Realmente esse lance de "prioridade" as vezes complica, pois o time perde a chance de se entrosar e ganhar ritmo de jogo.
Por outro lado vejo que jogar com força máxima, tendo um jogo dias depois que vale mais, é um risco grande, devido o problema de (possíveis) contusões e o cansaço da viagem.

A palavra "Arapuca" é bem procedente para esse tema, pois por vezes um time prioriza um campeonato, menosprezando um outro, e acaba sem nenhum, ficando, como dizemos aqui no Ceará, "sem mel nem cabaça".

Derbson Frota
Tianguá CE
twitter.com/derbsonfrota