sábado, 18 de julho de 2009

Retaliações da "lei"



A vitória de 3 a 0 do Vasco sobre o ABC em São Januário foi maculada por uma duvidosa conduta do árbitro goiano Luiz Alberto Bites. O juiz deu uma bronca no meia Philippe Coutinho após ele arriscar um drible de calcanhar sobre um dos adversários do time potiguar. Mais do que o absurdo de ameaçar um atleta por tentar uma jogada bonita, foi o argumento de Luiz Alberto para sua atitude: "preservar o jogador, para evitar que ele saísse machucado".

A inversão de valores, representada por atitudes não muito éticas dos treinadores e a ausência de pudor ao mandar bater ou ao escalar jogadores somente para "incomodarem" seus adversários e forçar expulsões, chegou ao apito nacional. A graciosidade do futebol brasileiro, com seus dribles e suas artes, agora vem sendo coibida também pela arbitragem. Com as rivalidades cada vez mais acirradas, os árbitros ajudam a deturpar uma finta e a tornarem o lance uma ofensa pessoal.

Revelação do Vasco e com o passe vendido à Internazionale de Milão, Philippe Coutinho foi tratado com a mesma rispidez de um zagueiro violento. E tudo somente pela "violência" de arriscar um bom drible quando seu time vencia por 3 a 0.

É por estas e outras que atletas brasileiros estão indo cada vez mais cedo para o exterior - e Coutinho será o próximo, no meio do ano que vem. Com a maior autoridade de uma partida de futebol tolhindo a liberdade de atletas que enchem os olhos da torcida, o mercado parece cada vez mais restrito para quem ainda arrisca fazer arte no esporte mais popular do Brasil.

Um comentário:

Fernando Quaresma disse...

Infelizmente nobre Vinicius Faustini , a jovem promessa vascaína está de malas prontas para a Inter de Milão . O que ele fez com o ABC foi brincadeira .
Só quero também deixar o meu protesto ao juíz da partida que proibiu e ameaçou dar um cartão amarelo ao Coutinho se ele continuasse com os dribles .

Que isso !? Futebol é assim , é espetáculo . É um entreterimento ao público que paga e quer ver um show inesquecível . Quer algo "Épico" e que possa lembrar sempre que estava naquele jogo e fala com orgulho e com o ingresso na mão .

Infelizmente , o comercio fala mais alto do que a paixão pelo esporte . É um absurdo também ouvir do juiz que ele fez isso para proteger o jogador que poderia levar uma entrada mais violenta .

Pelo amor de Deus , se um atleta da uma entrada criminosa pois levou um drible , esse daí não está no esporte certo ... Deveria estar fazendo MMA , Muay Thai e outra arte marcial .

Até que a ideia não é ruim , pois alguns atletas que se aposentam no baseball e Futebol Americano , estão ingressando no Vale Tudo . Se a moda pega , teremos muitos jogadores carniceiros vão ingressar tb .

Forte abraço