terça-feira, 1 de setembro de 2009

Figurinhas repetidas



Já entrou no cotidiano do futebol carioca a rotina de pelo menos dois clubes considerados "grandes" terem uma troca de técnico durante o ano. E, invariavelmente, os times com sucessivas mudanças de comando acabam a temporada com um castigo: sair de cena da elite do futebol brasileiro pelo menos por um ano.

Em 2002, o Botafogo teve seis treinadores. No ano passado, cinco técnicos estiveram no comando do Vasco da Gama. Nas três vezes consecutivas em que foi rebaixado, o Fluminense primou pela alternância na vaga de técnico: seis em 1996 e 1997, e cinco no ano de 1998.

11 anos depois de sua queda para a Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro, o tricolor das Laranjeiras repete o roteiro de uma equipe ladeira abaixo. Foi anunciada hoje a demissão de Renato Gaúcho. Em seu lugar, o técnico Cuca assume o comando da equipe, para tentar fazer o que Renato, Vinícius Eutrópio, Carlos Alberto Parreira e René Simões não conseguiram em 2009: elevar o Fluminense.

Mas o que chama atenção no novo anúncio da diretoria nem é a troca de técnico (previsível). O problema é que os times cariocas sempre recorrem aos mesmos nomes em momentos de emergência. O torcedor tricolor que acessa a Internet hoje tem a sensação de que voltou no tempo.

Afinal, no ano de 2008 o treinador do Fluminense era Renato Gaúcho. Depois da perda do título da Taça Libertadores da América e dos insucessos constantes no Campeonato Brasileiro, ele foi demitido. E quem entrou em seu lugar? Cuca!

O novo (agora velho) comandante durou somente nove partidas, e teve apenas duas vitórias. Beirando a ida para a Série B, ele foi substituído por René Simões, que livrou definitiavamente o time da degola.

Um ano depois, os mesmos nomes passam pelo comando do Fluminense. E o pior: a tendência é de que os insucessos do tricolor no Campeonato Brasileiro continuem, sempre em grandes proporções. O returno vai ser bem longo para os tricolores.

*****

BOLA PRO MATO

Do outro lado do planeta, o técnico Joel Santana deve estar suspirando aliviado ao ver esta troca de técnicos do futebol carioca. Ou o leitor de O tempo e o placar... duvida que, se ele não estivesse comandando a África do Sul, certamente seria chamado para treinar algum dos grandes clubes do Rio de Janeiro?

4 comentários:

Pachá disse...

E Joel Santana, que já treinou até Renato Gaúcho (já vai tarde), rindo... Se escangalhando de lá...
"De equipe uás gúdi, mas nós márqui from birráindi"

Pachá disse...

E lá vamos nós, como você bem disse, ladeira abaixo... Se ao invés de treinador trocassem o presidente do clube de acordo com os resultados...

Leonardo Resende disse...

Esse tipo de contratação só serve pra mostrar que a diretoria e o patrocinador do FLuminense estão mais perdidos do que cego em tiroteio.

Não acho que Cuca vá dar jeito nessa equipe. Aliás, considero que ele deu um tiro no pé acertando com o tricolor.

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Grande abraço,

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com

Saulo disse...

Pode até calar a minha boca, mas não acho que o Cuca vai melhoras essa equipe.