terça-feira, 15 de setembro de 2009

Ofensa à memória



Foi indiscutível a melhora do Flamengo no último fim de semana. A vitória por 3 a 0 sobre o Sport no Maracanã serviu para o rubro-negro voltar a ter a autoestima para tentar ao menos encerrar o Campeonato Brasileiro entre os quatro primeiros e, em especial, para Adriano tentar na Gávea jogar o que deixou de jogar na Seleção Brasileira na quarta-feira passada. Mas a declaração de Léo Moura foi um assombro em meio aos festejos de uma vitória do time.



O lateral afirmou que a atual equipe do Flamengo se assemelha ao que foi nos anos 80 - década na qual o time de Zico, Nunes, Júnior e de tantos jogadores ganhou os títulos mais importantes da Gávea. Francamente, chega a ser uma ofensa para os esquadrões da tradição rubro-negra.

Sim, o Flamengo teve seus eventuais tropeços naquela década, não venceu tudo o que disputou. Mas daí a passar pelas situações que a atual equipe vem mostrando em campo - muitos jogadores de nível técnico duvidoso vestindo a camisa, alguns fazendo o que bem entendem e jogando quando querem por terem aparente imunidade aos olhos da torcidae e, em especial a irregularidade até mesmo nos jogos do Maracanã - não são coisas do futebol de outrora.

Não é saudosismo. É apenas bom senso. Quem acredita que um Adriano visivelmente fora de sua forma física pode ser a única esperança de gols em um clube? Ou depender das boas atuações de Petkovic, que, apesar de seu talento inquestionável (mostrado tanto no Flamengo quanto em outros clubes brasileiros) já sente os desgastes naturais de seus 37 anos.

Enquanto o futebol do Rio tiver sua ausência de parâmetros, times como o Flamengo ficarão cercados de ilusões e vão acreditar nas balelas de seus próprios jogadores. Léo Moura tem em seu passado recente um histórico de ter xingado alguns flamenguistas. E agora simplesmente xingou a memória rubro-negra.

*****

Nestes últimos dias eu não pude atualizar em virtude dos preparativos para o lançamento de Diário de um salafrário. É no sábado, na Bienal do Livro, no estande da Litteris Editora (Pavilhão Verde, Rua Q, Estande 17).

Um comentário:

Leonardo Resende disse...

Vc falou tudo!

O Fla venceu, jogou bem mas acho que não se pode exagerar nas comparações. Ganhar de 3 x 0 de um time que não faz muito tempo tomou de 5 do Flu não é mais do que obrigação.

Adriano brilhou, Zé Roberto fez gol, mas quem de fato mudou a cara desse time foi o Pet.
E olha que não o queriam hein?

Mas voltando ao tema central, é um insulto comparar esse time com os grandes campeões e maiores jogadores da história do rubro-negro.

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Abraços,

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com