terça-feira, 20 de outubro de 2009

O gringo e mais dez




Não, não foi Adriano. O grande reforço do Flamengo e responsável pela arrancada da equipe no Campeonato Brasileiro de 2009 é também um velho conhecido da Gávea, mas que veio com muito menos badalação do que o Imperador. E a cada partida, o sérvio Petkovic se revela o jogador fundamental do time rubro-negro, por ser o grande armador de jogadas e também responsável por grandes jogadas de talento. O domingo de São Paulo comprovou sua importância: em pleno Parque Antarctica, diante do líder Palmeiras, Petkovic marcou os dois gols da vitória de 2 a 0 do Flamengo sobre o alviverde paulista (que jogou de uniforme azul).

Petkovic retornou ao Flamengo como forma de amenizar um litígio. O jogador abria mão de parte de uma dívida financeira se pudesse voltar a vestir a camisa do clube. Sua contratação foi repudiada pelo então técnico Cuca, que raramente o colocava no banco de reservas e, quando ele entrava nas partidas, era nos últimos 10 ou 15 minutos (em geral, quando o jogo estava definido). Com a troca de técnicos e a efetivação de Andrade, Pet voltou a ter oportunidades de jogar e, aos poucos, fez sua habilidade falar mais alto com os pés.

E num jogo tão equilibrado como foi o duelo com o Palmeiras, o peso de seu talento favoreceu o Flamengo. Vindo de dois resultados negativos (um empate com o Avaí em São Paulo e uma derrota para o Náutico em Recife), o alviverde pressionou desde os primeiros minutos - a pressão era ainda maior porque, durante a semana, o técnico Muricy Ramalho afirmara que "uma vitória sobre o Flamengo era obrigação". No entanto, a zaga rubro-negra era amparada pelo trio de volantes (Maldonado, Toró e Willians) e conseguia evitar que a bola chegasse aos atacantes Robert e Vágner Love.

Mas um contra-ataque flamenguista mostrou a diferença de ter o sérvio Petkovic no time. Após uma boa tabela com o lateral Juan, o camisa 43 tirou dois palmeirenses para dançar e abriu o placar no Palestra Itália aos 23 minutos. A desvantagem no placar fez o Palmeiras intensificar seu ataque, e ter uma sucessão de oportunidades desperdiçadas - duas delas com Vágner Love.

Na segunda etapa, em vez do recuo mais "previsível", o Flamengo surpreendeu com duas chances seguidas, uma com Léo Moura e outra com Petkovic. A zaga rubro-negra parecia intimidar os jogadores de azul, e o time carioca administrava o resultado. Só que a tarde ficou ainda mais favorável para o vermelho e preto aos 16 minutos. Petkovic cobrou escanteio pelo lado esquerdo, a bola passou por Ronaldo Angelim e no meio das pernas de Danilo, e enganou o goleiro Marcos. Um "gol olímpico" feito sem querer, mas onde mais uma vez brilhou a estrela de 37 anos que veio da Sérvia.

Mesmo com a vantagem mais larga do Flamengo, o time palmeirense continuou insistindo em jogadas de área - esbarrando na boa marcação flamenguista. Aos 40 minutos, veio a grande chance do Palmeiras no jogo. Em cruzamento de Wendel, Ortigoza foi empurrado por Ronaldo Angelim. Pênalti. O momento que poderia ameaçar a vitória rubro-negra foi isolado, na cobrança de pênalti que Vágner Love chutou por cima do travessão de Bruno.

O Flamengo agora está em quinto lugar - a um ponto do São Paulo, que hoje estaria na Taça Libertadores da América - e sai do Palestra Itália com uma certeza. De que Adriano não é a figura mais importante do time flamenguista. O time da Gávea, hoje, é Petkovic e mais dez.

2 comentários:

Kauê Oliveira disse...

Voltou jogando muito... Quando precisa chama a responsa para si...

Quando puder da uma possada no meu blog...

http://www.futiblogueiro.blogspot.com/

Leonardo Resende disse...

Fala Vinicius!

E pensar que não queriam o Pet.

Ninguem poderia imaginar (nem mesmo o próprio jogador) que ele seria tão importante e estaria jogando tanto.

Bom para o Fla!!!

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Grande abraço,

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com